Um lugar no mundo

08-05-2022 | 18:00
MESA DE AUTOR

Convidados

João Pedro Vala

Nasceu em 1990, em Lisboa. Licenciou-se em Gestão mas, em 2011, acabou por trocar os números pelas letras. Concluiu, em 2021, uma tese de doutoramento sobre Marcel Proust — escrita entre a University of Chicago (como visiting scholar) e a Universidade de Lisboa —, em que estuda a forma como o tempo, a homossexualidade, o judaísmo e o sadomasoquismo parecem representar a visão que Proust tinha da literatura. É crítico literário, revisor e tradutor.

Nasceu em 1990, em Lisboa. Licenciou-se em Gestão mas, em 2011, acabou por trocar os números pelas letras. Concluiu, em 2021, uma tese de doutoramento sobre Marcel Proust — escrita entre a University of Chicago (como visiting scholar) e a Universidade de Lisboa —, em que estuda a forma como o tempo, a homossexualidade, o judaísmo e o sadomasoquismo parecem representar a visão que Proust tinha da literatura. É crítico literário, revisor e tradutor.

Cláudia Lucas Chéu

Escritora, poeta, dramaturga e argumentista. Tem publicados os textos para teatro Glória ou como Penélope Morreu de Tédio; Violência — fetiche do homem bom pelas edições Bicho-do-Mato/ Teatro Nacional D. Maria II; A Cabeça Muda, pela Cama de Gato Edições; Veneno (Coleção Curtas da Nova Dramaturgia – Memória), Edições Guilhotina, 2015. Em prosa poética, publicou o livro Nojo, (não) edições. E em poesia, o livro Trespasse, Edições Guilhotina, 2014 e Pornographia, Editora Labirinto, 2016. Em 2017, foi publicado o seu livro Ratazanas(poesia), pela Selo Demónio Negro, em São Paulo (Brasil). Publicou, em 2018, o seu primeiro romance Aqueles Que Vão Morrer, Editora Labirinto, e Beber Pela Garrafa(poesia), pela Companhia das Ilhas. A Mulher-Bala e outros contos, Editora Labirinto 2019; Confissão (poesia), Companhia das Ilhas, 2020.  Publicou A Mulher Sapiens (contos e ensaios), Companhia das Ilhas e jornal Público, 2021, e A Vida Mentirosa das Crianças, Nova Mymosa, 2021. O livro Confissão foi semifinalista do Prémio Oceanos 2021. Acaba de lançar os livros Ode Triumphal à Cona (poesia)e Orlando — um tratado sobre a dignidade humana (dramaturgia).

Escritora, poeta, dramaturga e argumentista. Tem publicados os textos para teatro Glória ou como Penélope Morreu de Tédio; Violência — fetiche do homem bom pelas edições Bicho-do-Mato/ Teatro Nacional D. Maria II; A Cabeça Muda, pela Cama de Gato Edições; Veneno (Coleção Curtas da Nova Dramaturgia – Memória), Edições Guilhotina, 2015. Em prosa poética, publicou o livro Nojo, (não) edições. E em poesia, o livro Trespasse, Edições Guilhotina, 2014 e Pornographia, Editora Labirinto, 2016. Em 2017, foi publicado o seu livro Ratazanas(poesia), pela Selo Demónio Negro, em São Paulo (Brasil). Publicou, em 2018, o seu primeiro romance Aqueles Que Vão Morrer, Editora Labirinto, e Beber Pela Garrafa(poesia), pela Companhia das Ilhas. A Mulher-Bala e outros contos, Editora Labirinto 2019; Confissão (poesia), Companhia das Ilhas, 2020.  Publicou A Mulher Sapiens (contos e ensaios), Companhia das Ilhas e jornal Público, 2021, e A Vida Mentirosa das Crianças, Nova Mymosa, 2021. O livro Confissão foi semifinalista do Prémio Oceanos 2021. Acaba de lançar os livros Ode Triumphal à Cona (poesia)e Orlando — um tratado sobre a dignidade humana (dramaturgia).